Os downgrades da Moody’s e os mercados financeiros

Posted on Jun 26 2012 - 12:02pm by cristina.castillo@pannacottagroup.com

Economia: Moody's e os mercados financeiros

A Moody’s é uma das principais referências na sociedade para a economia mundial no que diz respeito à avaliação de crédito de instituições financeiras. Criada ainda em 1909, as notas dadas pelos seus consultores servem como bússola a milhares de fundos de investimento, poderosas multinacionais que mantenham ligação com o segmento avaliado, além dos próprios governos, sempre em alerta com relação a qualquer sinal de crise no sistema financeiro mundial.
A taxonomia da Moody’s na avaliação da economia mundial obedece a critérios diferenciados em relação a outras instituições do segmento (como a Fitch e a Standard & Poors). Enquanto na maioria das agências, as notas variam de AAA a D, na Moody’s, a maior nota é Aaa (menor grau de risco de crédito) e a menor é C. Trivial seria mencionar o frenesi da sociedade econômica a cada rebaixamento de nota de qualquer uma das agências citadas.

economia e os mercados financeiros

economia e os mercados

Criticas à Moody’s

A despeito da importância da agência de classificação norte-americana na economia mundial, a Moody’s é constantemente alvo de ásperas críticas. Uma delas advém do fato de não ter previsto a crise de 1929, que provocou a quebra da bolsa de Nova York e um colapso nos mercados financeiros mundiais. Mas as trapalhadas da agência de classificação de risco não se limitam ao início do século XX.
Recentemente, a Moody’s foi acusada de ser uma das maiores responsáveis pelo agravamento da crise do Subprime, em 2008, quando atribuiu ótimas notas ao banco Lehman Brothers, pouco antes do seu pedido de concordata. E o que dizer da falência dos bancos islandeses, instituições bem avaliadas pelos ratings da agência há até dias antes da quebra? Como é possível inferir, a sociedade econômica é carente de “nortes”, de avaliações que indiquem as perspectivas da economia para o curto, médio e longo prazo.

Sociedade: Sistema financeiro e economia em risco

Sistema financeiro e economia em risco

 O sistema financeiro e a crise da dívida

As agências de classificação de risco atuam nos mercados financeiros para cobrir essa lacuna, o que não impede a ocorrência de fenômenos inesperados, fruto da volatilidade e imprevisibilidade intrínseca ao sistema econômico mundial integrado. E se por um lado as agências de classificação de riscos de credito que nem a Moody’s procuram salvaguardar os interesses dos investidores, também podem desacreditar grandes empresas baixando sua nota e até mesmo a de países, tornando suas ações voláteis nos mercados financeiros, até que o seu preço fique incrivelmente barato. É nesta altura que os investidores compram o mais possível aos mais baixos preços (..obrigado Moody’s). Acontece que como os países não podem ser comprados, e suas receitas diminuíram enormemente, cortes nas despesas têm de ser feitos, levando os países à estagnação, débitos elevados e pedidos de ajuda financeira aos bancos, que por sua vez pedem dinheiro emprestado ao fundo monetário internacional (com taxas de juro generosas). Um Fato que está acontecendo por toda a Europa e Estados Unidos da América, levando milhões de pessoas ao desemprego, e causando uma enorme instabilidade social.

Sociedade: a crise da dívida na Europa e EUA

Sociedade: a crise da dívida

Sociedade: Moody's, a agência de classificação de risco de crédito

Moody's, a agência de classificação de risco de crédito